domingo, 18 de fevereiro de 2018

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2018

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou, nesta quarta-feira (14), a Campanha da Fraternidade 2018, com o tema Fraternidade e Superação da Violência. O documento aponta formas e tipos de violência no Brasil, dando destaque às praticadas contra os negros, os jovens e as mulheres. "Os grupos sociais vulneráveis são as maiores vítimas da violência", disse o presidente da entidade, cardeal Sérgio da Rocha."A Igreja sempre tem alertado sobre a perda de direitos sociais. Não podemos admitir que os mais pobres arquem com sacrifícios maiores. Precisamos de políticas públicas para nos ajudar a superar e a assegurar os direitos fundamentais que as pessoas têm", defendeu o cardeal.

Durante o lançamento da campanha, o presidente da CNBB listou também como prática violenta, a corrupção. "A corrupção é uma forma de violência, e ela mata", disse o cardeal. Segundo ele, "ao desviar recursos que deveriam ser usados em favor da população, os políticos acabam promovendo uma outra forma de violência contra o ser humano, a miséria".

"Queremos superar também formas de violência como as representadas pela miséria e pela falta de vida digna", argumentou o religioso, que criticou também os políticos que vêm adotando em seu discurso o uso da violência como forma de combate à violência. Segundo o cardeal, a Igreja Católica vem atuando no sentido de esclarecer seus seguidores sobre o risco desse tipo de política. "É um equívoco achar que superaremos a violência, recorrendo a mais violência. [Nesse sentido,] a igreja está orientando os eleitores, ajudando-os a formar sua consciência e a identificar quais candidatos estão comprometidos com a paz", disse.

Ainda pontuando as formas de violência, ele citou o uso das redes sociais, onde, segundo ele, identifica-se "um triste crescimento da agressividade". O cardeal disse, ainda, que os meios de comunicação "são vitais para a superação da violência". Ele, no entanto, criticou as programações violentas em busca de audiência. "Quanto mais filmes violentos assistirmos, mas violentos nós seremos".

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, em declaração durante o lançamento da campanha, disse que a iniciativa dá a "tônica à imperativa mudança que se impõe, de que o irmão é um aliado".

"Precisamos caminhar de mãos dadas, e não de punhos cerrados. Essa é a melhor forma de lidarmos com essa campanha. Minha mãe dizia, quando eu era criança, que se tivesse algum problema era para eu procurar um adulto por perto. Hoje vejo mães e professores desconfiarem e temerem adultos que chegam próximo às escolas. Quem se aproxima pode ser inimigo. Estamos fazendo do outro não um irmão, mas um inimigo a se combater", argumentou a magistrada.

O coordenador da Frente Parlamentar pela Prevenção à Violência e Redução dos Homicídios, deputado Alexandre Molón (Rede-RJ), disse que a campanha da CNBB aborda uma das grandes preocupações do país, em função do enorme número de homicídios aqui praticados. "Foram mais de 60 mil homicídios em 2017, e foram 61 mil em 2016. Se considerarmos que a bomba de Nagasaki [explodida no Japão pelos norte-americanos ao fim da 2ª Guerra Mundial] matou instantaneamente 80 mil [pessoas], podemos dizer que a cada ano morre, no Brasil, o equivalente a uma bomba de Nagasaki", disse o deputado. 
https://www.terra.com.br/noticias




 





QUARTA-FEIRA DE CINZAS

Celebração das 9 horas , presidida pelo cônego Tarcísio.
A Eucaristia desta manhã, tem o sentido especial em nossa caminhada de fé. Somos convidados em comunhão com a Santa igreja, a percebermos o real sentido desta quarta -feira de cinzas.
Iniciamos hoje, e terminaremos com a celebração da Páscoa.
Inicia-se o tempo de Conversão, que é a preparação para a Celebração do Mistério Pascal do Senhor. As cinzas na liturgia nos lembra que somos pó e que ao pó voltaremos. Representa a nossa fragilidade, nossa pequenez, daí a necessidade de fazermos penitência e jejum, intensificar as orações. Fazer jejum, se revestir de humildade e fazer a nossa caminhada penitencial, para celebrarmos a ressurreição.
A comunidade foi orientada pelo celebrante da prática do jejum, das extravagâncias que devem ser evitadas e do fator idade que devem ser respeitadas. Esse esforço para a conversão é para nos aproximarmos mais de Cristo.
Jejum, oração e caridade, o tripé para nos prepararmos para a Páscoa, momento para intensificar nossa relação com Deus. Tempo forte de espiritualidade, também para praticar a oração do terço e a leitura orante em família. A caridade é uma forma de repensar nossa maneira de ser e de agir.
A campanha da Fraternidade cujo tema é:”Fraternidade é superação da violência, com o lema: "Em Cristo, somos todos irmãos” busca trazer uma atitude concreta, para vivermos esse período quaresmal. E tem como a proposta de abolir do nosso meio qualquer tipo de violência, pois somos todos irmãos. Após a reflexão aconteceu o ritual das Cinzas.
O Celebrante, fazendo uma cruz na testa colocava partículas de cinzas sobre os fiéis  dizendo a seguinte evocação: “Convertei-vos e credes no Evangelho”.













Eliane Martin


COMUNIDADE AUXILIADORA

Na noite dessa terça feira de carnaval,13,aconteceu na Comunidade de Nossa Senhora Auxiliadora a reza do Terço e Adoração ao Santíssimo Sacramento com a participação do Terço das Mulheres.





Eliane Martin



ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Durante o período de carnaval, a Paróquia de São Sebastião, junto aos fieis da comunidade, se reunia todos os dias para a Adoração ao Santíssimo Sacramento. Jesus está nos esperando para um momento íntimo com Ele. Para refletirmos sobre nossa vida e nos entregarmos ao Seu amor.






Eliane Martin


quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

ENCONTRO DA PASTORAL DA CRIANÇA E DO MENOR

A Pastoral da Criança e do Menor da Paróquia de São Sebastião, realizou no sábado (27/01) mais uma celebração da vida. 
Após a pesagem das crianças, os agentes de saúde falaram um pouco sobre a febre amarela, esclarecendo as dúvidas das mães sobre o assunto. Em seguida foi distribuído um delicioso lanche preparado pela equipe da Pastoral.













Créditos: Gabriela Cabral 



quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

A SERVIÇO DA IGREJA

"A Igreja no Brasil vai celebrar, no período de 26 de novembro de 2017, Solenidade de Cristo Rei, à 25 de novembro de 2018, o “Ano do Laicato”.  O tema escolhido para animar a mística do Ano do Laicato foi: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo”, Mt 5,13-14. Segundo o bispo de Caçador (SC), dom Severino Clasen, presidente da Comissão Episcopal Especial para o Ano do Laicato, pretende-se trabalhar a mística do apaixonamento e seguimento a Jesus Cristo. “Isto leva o cristão leigo a tornar-se, de fato, um missionário na família e no trabalho, onde estiver vivendo”, disse o bispo.
O Ano do Laicato terá como objetivo geral: “Como Igreja, Povo de Deus, celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil; aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão; e testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade”.( site CNBB)
Foi o que vimos durante toda a festa de São Sebastião, leigos e leigas a serviço da Igreja, buscando promover nossa Paróquia, com alegria e dedicação e um belo sorriso no rosto, para atender a todos na festa de São Sebastião. O nosso muito obrigado a cada um, que com muito zelo e carinho, deixou a nossa festa mais linda, na organização, na limpeza, som, ornamentação, canto, liturgia enfim, em cada detalhe. Que São Sebastião recompense o esforço de cada um.














Marciléa Oliveira