segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

PASTORAL DO DÍZIMO

Aconteceu no salão Paroquial, dia 6 de dezembro, reunião com Cônego Tarcísio e agentes de pastorais para avaliação e tomadas de decisões pós formação do Dízimo. Cônego Tarcísio iniciou a reunião com orações, e foi lido o trecho da 2ª Carta de São Paulo aos Coríntios. Essa reunião iluminada pela Palavra, teve como objetivo articular o gesto concreto deste mês de estudo da Pastoral do Dízimo. A proposta foi unir os movimentos em mutirão de visitação, com as pastorais das comunidades :Auxiliadora, Santo Expedito, São Domingos ,e São Sebastião que contará com o apoio da comunidade São Lucas. Foram entregues aos representantes das pastorais : roteiros de reflexão, fôlder com texto sobre o dízimo para orientação.Aconteceu o momento de tirar as dúvidas relacionadas á visitação. Cônego Tarcísio orientou quanto a abordagem ás famílias.
O tempo limite para a entrega do resultado da visitação será no final do mês de Fevereiro. Haverá a consulta ao CCP , juntamente com Cônego Tarcísio que identificarão também as sugestões para fazerem a assembleia local em 2018, a partir do resultado da pesquisa e da visitação entregue pelas respectivas comunidades.








Eliane Martin



IAM CELEBRA O DIA DE SÃO FRANCISCO XAVIER

No dia 3 de dezembro, a IAM, celebrou com toda a comunidade da Matriz de São Sebastião, o dia do patrono das missões, Francisco Xavier, e o primeiro domingo do advento. Em sua homilia, Cônego Tarcísio nos convida a estarmos vigilantes neste caminho de preparação para o natal do Senhor. Mais uma vez Ele quer celebrar o seu aniversário, mas não mais em uma manjedoura, ou na gruta de Belém, Ele quer celebrar em nossos corações, em nossas famílias e nas comunidades de fé. Temos que fazer este encontro de fé, com o Cristo, buscando transformar o nosso coração, converter a nossa vida, criando condições para que a Sua palavra nasça, frutifique e nos leve ao caminho de santidade, caminho mais digno e coerente da fé que nós professamos. Ser vigilante é pertinente para este período do advento que nos convida a olharmos de uma maneira retrospectiva para a nossa vida, nos perguntando: como foi o nosso ano? Como está sendo nossa caminhada de fé? Quais foram as coisas boas que fizemos? Qual foi o meu aperfeiçoamento na minha vida cristã e quais foram as minhas falhas e limitações,  na minha comunidade de fé, no meu trabalho, na minha família e nas pessoas com as quais eu convivo? Se eu quero celebrar bem o natal de Jesus, preciso criar condições no meu coração para que Ele nasça e se manifeste. É preciso fazer do tempo do Advento, um tempo de vigilância, buscando a conversão e mudança de vida, para que possamos nos assemelhar na pessoa de Jesus Cristo.












Fotos: Cida Sá
Texto: Marciléa Oliveira


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

1º DOMINGO DO ADVENTO - COMUNIDADE AUXILIADORA

“Vigiai ,portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem”(Mt 13,35)
Comunidade Auxiliadora celebrou no dia 3 de dezembro,  o 1º domingo do Advento. Aconteceu a entrada da 1ª Vela do Advento, que foi acolhida pelo celebrante .A luz nos leva a refletir e aprofundar a proximidade do Natal, onde Cristo, Salvador e Luz do mundo brilhará para a humanidade. Padre Orlando levou os fiéis a refletirem sobre a mudança espiritual que deve acontecer com a chegada do Advento Recordou o processo do ciclo de Cristo Rei e Advento. Falou das dificuldades de fazer o bem ao próximo. Ressaltou as preferências das pessoas em ajudar Pai Eterno, Canção Nova etc . Não tem problema nenhum ajudar, mas devemos valorizar a nossa casa, cuidar do material e espiritual da nossa comunidade. Sejamos vigilantes com nossa caminhada de fé e de comunidade. A cobrança virá de Deus. Somos argila nas mãos do Senhor. Somos chamados a mostrar para este mundo ,o nosso Deus. Fé é ter certeza de que Deus quer o melhor para nossa vida. Devemos fazer a faxina espiritual: arrancar o ódio, tirar o rancor, sair de situações que nos traz infelicidade ,para acolher o Menino Jesus que vem ao nosso encontro e que quer nascer em nossa vida.É preciso que permaneçamos vigilantes, e que ,possamos abrir as portas do nosso coração para o renascimento de Jesus. Os aniversariantes da semana foram homenageados.










Eliane Martin




FORMAÇÃO DO DÍZIMO - COMUNIDADE SÃO DOMINGOS DE GUSMÃO

A Comunidade de São Domingos de Gusmão se reuniu entre os dias 27 a 30 de novembro para a semana de Reflexão sobre o Dízimo. Estiveram presentes membros de pastorais, movimentos e participantes da comunidade. Iniciamos nossos encontros na segunda feira, dia 27, onde contamos com a presença do Diácono Márcio, que retornou às atividades da paróquia depois de um tempo afastado devido à uma cirurgia. Agradeceu a todos pelas orações e pelo carinho para com ele. Neste primeiro dia de formação refletimos os dois primeiros encontros, que nos falou de que como “Deus nos educa com o Dízimo” e “Dízimo: Oferta consciente e generosa”. O primeiro encontro nos mostrou que desde o Antigo Testamento já se falava da importância do Dízimo para a construção do Reino de Deus. E nos levou a refletir que tudo o que temos vem de Deus, tudo pertence a Ele, e cabe a nós como cristãos devolver a ele a parte que Lhe cabe. Já no segundo encontro, refletimos sobre a importância de ofertar o nosso Dízimo conscientes de que Deus não nos cobra, mas espera de nós a fidelidade e a generosidade. Dízimo é compromisso, não é um pagamento, mas sim um agradecimento por tudo o que Deus faz por nós. No terceiro encontro, dia 28, contamos com a presença do Cônego Tarcísio, que nos falou sobre “Os quatro fundamentos do Dízimo”, que são: Bíblico, Teológico, Comunitário e Pastoral. As primeiras comunidades cristãs já tinham noção da importância de se levar ao templo o seu dízimo. E hoje temos que saber que dízimo não é só ofertar a Deus o nosso dinheiro, é muito mais que isso, é ofertar a Deus os nossos dons, a serviço da nossa comunidade e dos nossos irmãos. Dando continuidade aos nossos encontros, no dia seguinte refletimos sobre as três dimensões do Dízimo, que são Religiosa, Social e Missionária. Cônego Tarcísio nos explicou como funciona cada uma dessas dimensões. A Dimensão Religiosa ajuda a manter as despesas de nossa igreja, como pagamento de água, luz, funcionários, material usado nas celebrações, cursos e encontros de formação promovidos pela paróquia. A Dimensão Social visa a ajuda material aos nossos irmãos mais necessitados. E a Dimensão Missionária ajuda na evangelização. Parte do que contribuímos é destinado à Arquidiocese, que se encarrega de ajudar nos projetos de solidariedade com outras dioceses e com toda a Igreja. No último encontro refletimos que “Não basta contribuir com o Dízimo, é preciso comprometer-se”. Essa reflexão foi feita por Bernadete, nossa coordenadora leiga do CPP e Zilá, tesoureira da Matriz São Sebastião. Elas nos ajudaram a atender melhor que somos partes de um corpo, que é a Igreja, e como parte desse corpo devemos trabalhar todos juntos para o bom funcionamento da Igreja. Temos funções diferentes, mas a mesma importância. Os membros das pastorais devem trabalhar juntos, para que a Igreja, povo de Deus, se desenvolva e cresça. Ninguém faz nada sozinho, precisamos da ajuda uns dos outros. Ao encerramento do encontro foi servido um lanche partilhado com a presença de todos. Que mais momentos como esses possam acontecer outras vezes em nossa paróquia, pois nos ajudou a entender melhor a nossa missão de membros de uma Igreja viva, que deve servir a Deus de coração aberto.








 

 








Fotos: Valéria Mattos
Texto: Niuzeth Matos




segunda-feira, 27 de novembro de 2017

SOLENIDADE DE CRISTO REI NAS COMUNIDADES

A Paróquia de São Sebastião, celebrou neste fim de semana, 25 de novembro, a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Rei do universo, juntamente com Cônego Tarcísio. Na procissão de entrada participaram os membros de pastorais com suas respectivas camisas. Ao iniciar a reflexão o celebrante falou da graça de celebrar Jesus Cristo, Rei do Universo,Senhor da nossa história. Somos obrigados a contemplarmos o Cristo, fonte de nossa vida e destino final. Em seu amor misericordioso fomos chamados a existência, e caminhamos para fazer do seu coração nossa morada eterna e definitiva. Ressaltou a abertura do Ano Laical, ano dos leigos e leigas, cristãos e cristãs batizados, que fazem parte deste povo que faz o caminho de discipulado de Jesus Cristo. Em 2018 com o ano laical, será mais valorizado a participação, integração dos movimentos que assumem o sacerdócio de Cristo como missão própria. Ser batizado, querer a unção do espírito santo, é participar deste sacerdócio comum dos fiéis. Este ano laical valorizar a presença e ação de todos os batizados e batizadas, de forma especial evidenciando aqueles que sentem vocacionados, chamados à evangelização. Cristo é apresentado como Bom Pastor, com suas palavras e atitudes tem uma ação sacerdotal, sacerdócio significa dom sagrado, dom de Deus. Pelo batismo, somos sacerdotes. Sinal da presença de Deus no meio do povo, ajudando no pastoreio, no resgate da dignidade humana em tantas esferas da sociedade, na evangelização. Temos uma vocação natural de fazermos este caminho de seguimento do Cristo como discípulos missionários, como aqueles que emprestam a Jesus, sua voz, o coração, e as mãos. Quando dizemos SIM, nos tornamos construtores do seu reino. Ser leigo é ser membro ativo e atuante da igreja. Devemos confiar Naquele que nos prometeu a vida plena. Não podemos tirar de nossas mãos, como cristãos e cristãs ,é o retrato do juízo final.A chave do céu, são : a caridade, o amor ao próximo.Que nós possamos sermos na vida do outro sinais de vida e de esperança.Os aniversariantes da semana foram homenageados. 







Matriz de São Sebastião
Já no sábado, à noite, Padre Orlando celebrou na Matriz de São Sebastião, juntamente com o ECC.




Pela manhã, Cônego Tarcísio celebrou a missa das crianças, apresentando três novas leitoras mirins, que com muita graça e desenvoltura, proclamaram a Palavra. As crianças participaram da oração do Pai Nosso e o abraço da paz, como tradição das missas dominicais. Foi apresentado o cartaz que representará o Ano Laical, trazido por duas representantes da Paróquia de São Sebastião







Texto: Eliane Martin
Fotos: Eliane Martin / Richard / Marcilea