sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

A começar pela presença da Mãe do Salvador




Queridos amigos e amigas,

Muitos de nós, com certeza, ao término deste ano, nos abraçaremos e desejaremos, uns aos outros, prosperidade e realizações ao longo do ano vindouro. Entretanto, esperamos, também, que este abraço se estenda pelos quatro cantos da terra de modo que, ao menos por dois dias, até mesmo alguns conflitos internos e externos, civis ou religiosos que atordoaram algumas nações, ao longo deste ano, sejam interrompidos para que toda a humanidade possa se congregar, tanto na chegada do novo ano quanto nas festividades que a precederão.

Desde o ano de 1968, quando, por iniciativa do Papa Paulo VI, vários países adotaram o dia 1º de janeiro como o dia mundial da Confraternização Universal, o mundo é convidado a tomar consciência de que questões ligadas à nossa existência – como, por exemplo, religiosas e políticas – devem valorizar a vida não tentar suprimi-la. Com efeito, as palavras tolerância e respeito, neste caso, devem preceder à limitação humana para todos nos respeitarmos e, por assim dizer, con-fraternizarmos, isto é, vivermos como irmãos.

Assim sendo, simultaneamente ao dia da Confraternização Universal, várias denominações religiosas ou místicas guardam o primeiro dia do ano para ritualizarem as suas crenças, ou seja, para entrarem em contato com os seus referenciais por meio de um rito. Igualmente, todos os cristãos católicos são convidados a se alegrarem por celebrarem um momento sublime: a Solenidade litúrgica de Santa Maria, Mãe de Deus.   

O tempo litúrgico natalino, que se inicia com a Solenidade do Natal e se prolonga até a Festa do Batismo do Senhor, reserva o primeiro dia do ano civil à meditação sobre a maternidade de Maria a fim de que estejamos cada vez mais cientes de que a presença divina de Jesus no meio da humanidade não escapou em nada os moldes comuns aos seres humanos: de Maria nasceu Jesus que, em momento algum, utilizou a sua condição divina para se sobressair sobre os demais humanos; ao contrário, obedeceu a todas as leis terrenas até chegar à morte e morte de cruz (Cf. Fl 2,5-8).

E, de fato, para nós católicos, parece não haver melhor opção para vivermos o dia da Confraternização Universal do que ao lado de Maria por se tratar de uma Mulher-exemplo para que o Verbo que se fez carne habitasse no meio da humanidade (Cf. Jo 1,14) fazendo o bem, respeitando a todos os povos, anunciando-lhes a salvação e a libertação dos oprimidos (Cf. Lc 4,18). Ao mesmo tempo em que anunciamos o nascimento e, consequentemente, a permanência de Jesus no meio de nós, celebramos com júbilo a divina maternidade de Maria.

Portanto, como autênticos seguidores de Cristo, rendamos graças ao Pai pela oportunidade a nós concedida da vida ao longo deste ano que vai se encerrando e, por meio de Maria, peçamos mais respeito e mais paz para o mundo inteiro, confiantes que estes pedidos se convertam em realizações no próspero 2013, a começar pela presença da Mãe do Salvador.

Seminarista Rodrigo Artur

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Então é Natal...





      Amados irmãos e irmãs, “não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: nasceu-vos hoje, na cidade de Davi, um Salvador, que é Cristo Senhor” (Lc 2,10-11). A promessa de um futuro novo de paz e de felicidade para o Povo de Deus se cumpre de modo excelente no nascimento do Menino Deus, o Emanuel, Deus Conosco, Jesus Cristo, nosso Salvador. É esse o grande Mistério que celebramos nesta noite: a Encarnação do Verbo, a iluminação do mundo. “Deus iluminou esta santíssima noite com o esplendor, o brilho de Cristo, verdadeira luz do mundo” (cf. A. Vanhoye). A profecia de Isaías ganha corpo e vida: “o povo que andava nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam nas sombras da morte uma luz começou a brilhar” (Is 9,1). Num contexto difícil para o povo de Israel, marcado pelas dores das distâncias de suas raízes tendo em vista o fato de estar oprimido sob o jugo dos poderosos, numa condição de exílio, o profeta anuncia a razão de sua esperança “nasceu para nós um menino, foi-nos dado um filho” (Is 9,5). Embora seja esta uma profecia para um contexto próprio (político e religioso), trata-se de uma profecia que se cumpre de modo pleno no nascimento do Messias. A dimensão do filho que nos foi dado nos remete de uma forma muito bela à dimensão do Natal como Dom de Deus para a humanidade. Portanto, em meio às trocas de tantos presentes entre nós, a grande alegria do Natal é reconhecer que o maior e mais sublime presente nos foi dado pelo Pai do Céu, o seu próprio Filho. De fato, nesta noite santa e feliz, o poder das trevas torna-se vulnerável diante do poder da Luz. A luz brilha nas trevas. Brilha nas trevas do sofrimento, nas trevas do pecado e das suas consequências. A luz, que é o Cristo Jesus, veio para instaurar um Reino de Justiça e de Paz. Daí que se torna urgente e necessário vencermos tudo o que é exploração, injustiça, egoísmo, violência e morte. Acolher Jesus é deixar-se vencer pela sua Bondade e pelo seu Amor, eliminando toda maldade erradicada no coração do homem e promovendo o bem e o direito do próximo. Trata-se, pois, de vencer toda manifestação do mal, deixando transparecer por meio da purificação de nosso interior e através de nossas atitudes a figura singela, mas viva e eficaz do Verbo encarnado, do Deus menino. Contemplando o Menino Deus deitado numa manjedoura, um lugar que se utilizava para alimentar os animais, num estábulo, entendemos que esta noite de Natal alimenta em nós uma certeza de fé: Deus feito criança que não encontrou antes um lugar mais adequado para o seu primeiro repouso após o parto em Belém, busca hoje em cada ser humano um colo acolhedor para sua divindade. O lugar propício de acolhida deste Deus criança é o coração humano que ao viver esta grande alegria de ver um Deus que bate à sua porta como uma criança inocente, deve deixar-se tocar por Ele e pelo seu olhar salvífico. O Bom Menino deseja transformar o nosso interior em sua casa, em sua habitação. Disse o evangelista João: “O Verbo fez-se homem, montou a Sua tenda entre nós e nós vimos a Sua glória, glória que vem do Pai...” (Jo 1,14). Assim, onde ainda existe dor, a presença do Menino Deus quer nos acalentar e consolar, além de nos revelar que o próprio Deus é solidário conosco, assumindo-nos e assumindo o nosso jeito limitado de viver. Ele se faz um de nós, um conosco, um entre nós, para nos mostrar que é possível, na medida em que seguimos os seus passos, chegar com Ele à glória dos céus. Onde ainda existe o desespero, a presença do Menino Deus nos faz lembrar que a vida de todo ser humano tem sentido e que recomeçar a cada dia é nascer de novo para a vida em Cristo, cultivando sempre a virtude da esperança. Celebrando o Natal do Senhor, ninguém tem o direito de desistir de si mesmo e da possibilidade de ser transformado no Amor. Deus que é Amor torna possível que todo ser humano acredite no seu valor e se abra à Graça da presença e permanência de Deus em sua vida. Como lembra o Apóstolo Paulo, em sua carta a seu amigo Tito, como manifestou-se a graça de Deus, fonte de salvação para todos os homens, devemos, portanto, aprender a renunciar à impiedade e aos desejos mundanos, para vivermos, no tempo presente, com temperança, justiça e piedade” (cf. Tt 2,11-12). Trata-se de um apelo consistente para que diante de tão grande luz, não sejamos tolos insistindo em permanecer nas trevas. Ele nos interpela, portanto, a nos distanciarmos de todo apego egoísta que impede a sensibilidade diante do próximo e da própria comunidade. É preciso promover a verdadeira Paz porque nasceu para nós o Príncipe da Paz. Ele é o Deus forte que “para escandalizar os poderosos”, se reveste da fraqueza de um recém nascido. O seu poder de salvação não está nas seguranças nas quais o mundo insiste em acreditar, quais sejam, nas armas, no status ou no prazer, mas seu poder de salvação está exatamente no despojamento de si e na humildade daquele que vem para fazer a Vontade do Pai. “Sendo Ele, de condição divina, não considerou como uma usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a condição de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz (Fl 2,6-8). Aqui nos lembramos especialmente que a Páscoa começa com o Natal. Há uma relação íntima entre o Natal e a Páscoa. Na Páscoa culmina o esvaziamento de Jesus que começou nesta noite santa com sua encarnação. Por isso, o Menino Jesus foi enfaixado por sua Mãe antes de ser colocado na manjedoura (Lc 2,7). As faixas que o envolvem na manjedoura já prenunciam a toalha de linho que o cobrirá na sua morte. Maria acompanha desde este momento a realização do Projeto de Salvação através de seu Filho. Antes o envolve para proteger o recém-nascido. Depois o verá envolvido sem vida, mas com o seu “SIM” vivido plenamente. Ela o acompanha desde o seu nascimento até a sua morte. É a mãe que trouxe ao mundo o Salvador. É a Mãe que se alegra com o seu nascimento e sofre com sua paixão. É a Mãe que inspira a Igreja, a todos nós, a gerar Cristo no mundo, levando-o a todo ser humano. Essa é a mais bela missão da Igreja, ser, a exemplo de Maria, a portadora da Luz, a que dá à Luz o Cristo Salvador e torna possível assim que o mundo inteiro seja liberto das “botas de tropa de assalto e dos trajes manchados de sangue” (cf. Is 9,4), isto é, de toda violência e falta de sentido para a vida. Feliz Natal para todos! «Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados» (Lc 2,14)"
                                            Pe. Euder Daniane Canuto Monteiro


domingo, 23 de dezembro de 2012

Horários de Missa na Matriz, nos dias de festas de fim de ano


Dia 24/12/2012 (Véspera de Natal)
21h – Missa Vespertina


Dia 25/12/2012 (Solenidade do Natal do Senhor)
9h e 19h30 – Missa do dia

Dia 31/12/2012
21h


Dia 1/1/2013 (Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus)
19h30

A Paróquia São Sebastião, através dos padres Mauro Lúcio e Euder Monteiro, bem como do CPP e dos CCP's, deseja a todos(as) e, de modo especial, aos seus paroquianos(as) um Natal abençoado e um Ano Novo repleto de realizações!!!


sábado, 22 de dezembro de 2012

Encerramento da Novena de Natal e apresentação do Oratório “NATIVIDADE”



Oração e arte se juntaram para emocionarem as centenas de pessoas que compareceram à nossa Matriz para o encerramento da Novena de Natal. Da Santa Missa, às 19h, participaram todas as comunidades da Paróquia, bem como alguns visitantes. Padre Euder, na homilia, motivou toda a assembleia a refletir sobre os bens espirituais adquiridos nesta novena.

Após a Missa, houve a tão esperada apresentação artístico-cultural-religiosa do grupo “Natividade: Oratório de Natal”, da cidade de Mariana, distrito de Padre Viegas, ovacionada por todos os presentes com longos e fortes aplausos. Ao final da apresentação, padre Euder agradeceu a presença de todos e dirigiu-se ao grupo “Natividade” com as seguintes palavras: “obrigado por vocês terem contribuído efetivamente com a evangelização da Paróquia São Sebastião”.

Confira as fotos 














Um feliz natal a todos(as)!!!

domingo, 16 de dezembro de 2012

Confraternização Paróquia São Sebastião

     Foi com muita alegria que membros do CPP, CAEP e funcionários da Paróquia de São Sebastião, encerraram mais um ano de trabalho, rendendo graças a Deus pelo trabalho realizado com muito amor.    
   Com um deliciosos jantar, preparado por Adriana e sua equipe, não faltou alegria, desprendimento e um momento de oração preparado com muito carinho pela coordenadora Bernadete e conduzido por Padre Euder. Que com essa confraternização, " a nossa comunidade seja manjedoura aconchegante para todos que dela se aproximarem".( Frei James Luiz Girardi)












terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Encerramento da Novena de Natal e Auto de Natal


A Paróquia de São Sebastião de Barbacena promove no próximo dia 21 de dezembro, na sua Igreja Matriz, a partir das 19h, o encerramento da Novena de Natal, com Celebração Eucarística e, logo em seguida, apresentação do Auto de Natal, com o tema: “Natividade: Oratório de Natal”, pelo Grupo Sumidouro, de Mariana.

Participe você também! Venha celebrar conosco!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Andamento da Pintura da parte externa da Matriz São Sebastião

A Matriz São Sebastião, continua com suas obras.
Assim, agradecemos aos dizimistas e benfeitores pelo empenho para que a parte externa da Igreja de São Sebastião seja reformada. A pintura da parte lateral esquerda já foi concluída, bem como o telhado. O lado direito e a frente da Igreja está em andamento.
Pedimos a Deus que os abençoe pela sua generosidade dando-lhes saúde e paz.





domingo, 2 de dezembro de 2012

Primeira Eucaristia

     Aconteceu na manhã de hoje a Primeira Eucaristia da Matriz de São Sebastião. Mais de 35 crianças participaram deste momento tão importante e significativo de suas vidas. 









Assembleia Comunitária

     Aconteceu na tarde de ontem, sábado, a assembleia paroquial da Matriz de São Sebastião. Em um clima de oração e alegria, Padre Euder e Bernadete conduziram a assembleia, nos levando a refletir sobre a Palavra de Deus e o Tempo do Advento. Com a participação dos representantes das pastorais e movimentos, foi realizado um momento de reflexão entre os grupos, logo após aconteceu a eleição, sendo eleito para coordenar a Matriz, Sônia e o vice-coordenador, Francisco.
   São Sebastião derrame suas bênçãos sobre todos os participantes, que se comprometem na busca de uma Igreja viva, fraterna e acolhedora.